[Catálogo] – Detroit Rock City – O que você faria para ver a sua banda favorita?

“Vocês queriam o melhor, vocês terão o melhor…a maior banda do mundo…KISS”

O ano é 1978…A disco music está voltando para o lugar de onde nunca deveria ter saído, o punk rock salvou o mundo e as maiores bandas da história do rock como Queen, ACDC, Black Sabath entre outras estão no auge. Os adolescentes só pensam em duas coisas: Sexo e Rock n’ Roll.

Neste ano maravilhoso, quando que eu só precisava chorar para que alguém me desse um peito e ainda podia sujar as fraldas sem me preocupar por que alguém sempre me limpava, é ambientado um dos filmes mais legais sobre jovens se aventurando em busca de um sonho: “Detroit Rock City” de 1999, chamado aqui de “Detroit, a cidade do Rock” (OK, a tradução é até fiel, mas por ser o nome de uma das musicas mais famosas da banda deveria ter sido mantido o original).

No filme conhecemos 4 garotos, Hawk, Jem (Jeremias), Lex e Trip, alunos do segundo grau em Cleveland, que têm uma banda cover e um único e imediato objetivo na vida, ir ao Show do Kiss em Detroit.

Se você sofre de uma doença imunológica incurável e vive dentro de uma bolha, se você esteve em coma pelos últimos 20 anos ou, pior, se você curte pagode, saiba que Kiss é uma das maiores bandas de rock de todos os tempos, provavelmente a maior no quesito fanatismo, (junto com os Beatles), no final dos anos 70 e inicio dos 80. O Kiss vendia desde bonecos a álbuns de figurinhas, e teve por muitos anos uma radio nos EUA com 100% da programação voltada para eles.

O filme já começa com uma cena clássica em que a mãe do baterista, uma católica do tipo maluca, tenta ouvir um disco de vinil (você deve saber o que é) dos Carpenters enquanto relaxa tomando um vinho, mas o disco que estava na capa era Love Gun do KISS que o filho tinha que manter escondido por que se tratava de, nas palavras dela, a música do demônio. Na época existia até um boato que KISS significava “Knights in Satan’s Service” ou cavaleiros a serviço do diabo em bom português.

Os meninos tinham os ingressos comprados para o show que aconteceria em Detroit naquela noite, mas a bruxa acaba descobrindo e queimando as entradas. A saga dos garotos para conseguir novos ingressos, dar um jeito de fugir da escola para chegar em Detroit e entrar no show é no que consiste a história do filme, que é divertido do inicio ao fim, com reviravoltas e cenas bastante engraçadas que fazem o filme passar voando.
Detroit Rock City é produzido pelo próprio Jenne Simons, e a banda tem participação especial. Eles regravaram fielmente cenas de um show clássico em Detroit para o encerramento do filme.
Infelizmente “Detroit” não teve o sucesso merecido nas bilheterias, custou aproximadamente 15 milhões de dólares e faturou apenas 5 nos Estados Unidos, talvez por que em 1999 o Kiss já tinha tirado a pintura da cara, o maior erro da carreira da banda (e olha que eles fizeram muita merda nessa vida) e o que fazia sucesso nos States eram Britney Spears e Withney Houston, ou seja, o filme já foi lançado com um ar nostálgico.

Enfim, se você gosta de filmes no estilo “Road Movie”, curte uma boa comédia e, principalmente, se você gosta de Kiss, Detroit Rock City é simplesmente imperdível.

Curiosidades:

– O dono do clube das mulheres que aparece no filme é Ron Jeremy, clone do Mario Bros e um dos maiores astros da história do cinema pornô, um dos maiores mesmo, tanto que Jenna Jameson tem uma cláusula no seu contrato com a Vivid: “Nada de Ron Jeremy”.
– A coroa que Hawk pega no filme é Shannon Tweed, figurinha carimbada do extinto cine privê e esposa na vida real do Baixista do Kiss, Gene Simmons, que clama já ter feito sexo com mais de 4000 mulheres na vida (Não sei como os chifres não apareceram na tela).
– Você vai se lembrar de Edward Furlong, ele ficou marcado como John Connor de o Exterminador do Futuro 2.
– O filme tem duas personagens chamadas Beth e Christine. Se vc é fã da banda sabe que são referencias às músicas “Beth” e “Christine Sixteen” do Kiss. Inclusive as duas músicas tocam em momentos marcantes das respectivas personagens.
– A trilha sonora do filme é uma das melhores de todos os tempos, e custou quase 4 milhões em direitos autorais, provavelmente esse foi o maior motivo do prejuízo final, procurem por que vale a pena.

Trailer legendado:

Mau Franco
Formado em ciências da computação e pós-graduado em administração e gerenciamento de projetos, trabalha 9 horas por dia em uma grande empresa. O pouco tempo que lhe resta é passado com sua esposa, filhos, cachorros, alguns poucos games e algumas centenas de filmes.

Mau Franco publicou 297 posts. Veja outros.

Publicidade