Enduro – “A força do dedão está com você!”

Sabe qual é o maior simulador de corrida de carros de todos os tempos?… não pensem nestes incríveis simuladores da atual geração, Forza 3 e GT5 e sim no maior clássico de todos os simuladores de corrida.

Algumas dicas: ao ligar o console já aparece a tela do jogo em modo exibição isso porque não tem tela de apresentação. Para começar o jogo você deve apertar o Start (Inicio) no console e logo depois apertar o único botão que tem no joystick para acelerar o carro e começar o jogo.

Já matou a charada? Pois se você pensou no Enduro acertou em cheio. E este simulador das antigas é o nosso game velhinho da semana, e pode confessar que você também já ficou com o dedão doendo de tanto segurar pressionado o botão de acelerar. Vamos então relembrar e fazer uma breve análise sobre ele.

 

Enduro, este sim é um jogo de respeito. O jogo de apenas 4KB, mas de muita emoção e dificuldade extrema e que foi um dos principais jogos responsáveis pela existência dos vídeo games.

Se jogos como Enduro, Pitfall, Seaquest e Pac Man não tivessem sido lançados talvez o Atari não fosse pra frente e seria apenas mais um brinquedo com vendas baixas e de pouca vida.

Mas ainda bem que não foi isso que aconteceu e este jogo assim como muitos outros tiveram tanto sucesso que fizeram o mercado de videogames crescer cada vez mais, é claro que como todo segmento este mercado também passou por muitas crises, principalmente nos anos 80 e 90, mas se tornou um ramo forte e maduro como é o de hoje e quem sabe até mais rentável que a valiosa indústria cinematográfica, agora vamos voltar ao game.

O Enduro foi lançado em 1983 pela Activision para os consoles Atari e foi sucesso absoluto. Foi um jogo que 9 entre 10 donos de Atari tinham e não cansavam de jogar.

Historia:

Ultrapassar 200 carros no primeiro dia e 300 no próximo e conseguir fazer o maior numero de dias possível. Simples, viciante e quase impossível.

Gráfico:

Apesar de ser uma corrida do tipo enduro o seu carro é mais um F1 do que um carro de enduro, os cenários mudavam de dia para gelo, entardecer, noite e a temida neblina antes de voltar ao dia.

Claro que os gráficos eram simples, porem era o suficiente para a época onde o desafio e a diversão sempre ficavam na frente da qualidade gráfica do jogo.

Som:

A única música era de quando o seu carro ganhava a bandeirada, o resto que se escutava era o barulho de aceleração e dos carros que são ultrapassados ou te ultrapassam quando você comete um deslize.

 

musiquinha apenas quando ganha a bandeirada

 

Jogabilidade:

Este é um jogo que poderia ser muito fácil de jogar, já que o seu carro é sem sombra de dúvida muito mais rápido do que todos os outros oponentes, mas aí é que estava o grande desafio.

O carro era muito difícil de controlar, apesar de existir o freio (puxar para trás a alavanca do joystick) as pessoas costumavam controlar a aceleração, mas é impossível não se empolgar com as primeiras ultrapassagens fáceis e continuar aumentando a aceleração do carro até os outros veículos começarem a ser ultrapassados em uma velocidade muito alta a ponto de ficar impossível de se desviar, e pronto é colisão na certa e lá se vai umas 15 ou 20 posições embora até o seu carro voltar a acelerar de novo.

Ou seja, a grande sacada era apertar o botão de acelerar e ficar controlando a velocidade entre não muito devagar e nem muito rápido.

 

Na pista do cenário de neve também era muito fácil fazer o carro perder o controle, mas no geral por ser o primeiro simulador de carro até que as respostas do controle eram bem dinâmicas.

Dificuldade:

Muitos jogadores contam historias de que conseguiram dar tantas e tantas voltas e alimentam os mitos sobre ganhar um troféu diferente quando se faz um certo números de voltas. Porém no Youtube há um vídeo com alguém que conseguiu dar o incrível numero de 36 voltas e dá para ver um desenho de troféu ao lado do número de dias.

Conclusão:

ENDURO é um jogo apaixonante e é difícil achar alguém que nunca jogou ou conheceu este jogo.
Apesar da alta dificuldade de se conseguir passar pelo segundo ou terceiro dia, ENDURO é um jogo acessível a toda a família já que não existiam comandos complicados como mudança de marcha ou coisas do tipo, era apenas acelerar e desviar dos carros, ou seja, muitas mamães e papais também se divertiram com seus filhos, na verdade eu já cheguei a conhecer papais de 40 anos que ficaram viciados em Enduro e acabavam monopolizando o “brinquedo” dos filhos.

Desafio da semana:

Se você ainda não chegou aos 40 anos e mora com os pais, ou se já passou e ainda mora com os pais, arrume um jeitinho de colocar no PC um emulador deste jogo, não se esqueça de ligar o som, e chame o “coroa” para uma partidinha rápida. Com certeza você vai ouvir o comentário:

– Isso sim que é vídeo game e não essas coisas violentas que você joga hoje!

E o pior é que o velho vai ter “um pouco” de razão.

Não esqueça de ouvir o nosso podcast sobre Atari, onde relembramos dezenas de jogos e contamos mais um pouquinho sobre a historia desse console e seu trágico destino.

 

 

Defenestrando Jogos do Enduro

Se você curte jogos antigos, visite as colunas Botão Solitário (Atari), NEStalgia (Nes) e 16 Bits Fever (Mega/Snes).

Até a próxima e bons jogos.

Fui pro game…

Leandro Vallina
Formado em Comunicação Social. Tem como prioridade na vida cuidar da filha, jogar videogame, alimentar e passear com os cachorros, alimentar e passear com a esposa e jogar mais um pouco de videogame.

Leandro Vallina publicou 1210 posts. Veja outros.

Publicidade