NEStalgia- Battletoads

NÂO!! Esse jogo não tem apenas três (3) fases

Pelo menos para quem se empenhou um pouquinho mais.

Se você acha que sapo é um bicho frágil e delicado é porque nunca jogou “BATTLETOADS”, o game que será visitado na coluna NEStalgia desta semana.

Um dos últimos games a sair para o tão querido NES e acabou mostrando que o potencial do console 8bits da Nintento era muito superior ao que muitos pensavam.

Battletoads foi lançado em 1991 para NES, naquela época o Mega Drive e Snes já estavam começando a ganhar espaço e os jogos para NES e Master System não tinham mais tanto interesse do público.

A Rare, produtora do jogo, já fazia games desde 1983, mas foi com Battletoads em 91 que ela se destacou no mercado. O jogo tinha graficos e músicas acima da média, na verdade parecia um jogo de 16bits.

Historia:

A história do game é a mesma de sempre, uma princesa sequestrada e os irmãos Rash e Zitz tem que sair dando porradas e chutes em muitos porcos e ratos do exercito da malvada Dark Queen líder do planeta Ragnarok.

O jogo é um “beat-em-up”, ou seja, bater e andar. A jogabilidade é bem simples, praticamente pular e socar, mas se engana quem pensa que o jogo é fácil.

 

Battletoads tem uma das maiores dificuldades já vista para um jogo de vídeo game.

A sua dificuldade é reconhecida até por um dos seus programadores, que já chegou a comentar em uma entrevista feita para uma revista de games que a terceira fase não era para ser a que está no jogo e sim outra mais fácil, pois desestimula os jogadores logo no inicio do jogo.

Vamos relembrar algumas fases deste game.

Primeira fase:

Não é nada de tão difícil, mas logo no inicio você já pode perder algumas vidas se não ficar esperto e cair dos precipícios, pois o jogo não tem aquela linha imaginaria que segura o seu personagem no chão, ou seja, se encostar um pouquinho pra baixo ou pros lados é queda e morte na certa.

Já o chefe desta fase é um robô enorme que atira pedras.

Nessa hora a visão vai para o robô. E ele começa a arremessar pedras em sua direção, sendo que você apenas desvia das pedras e arremessa de volta nele que em poucas pedradas você já acaba com ele.

Segunda fase:

Seu sapo sarado está descendo um buraco segurando uma corda, nesta fase seu personagem tem que bater em todos os corvos que aparecem para que eles não cortem a corda, o que pode ocorrer com muita frequência.

É nesta fase mesmo que você pode começar a acumular vidas extras. Ao matar o corvo tente rebater ele na parede o maior número de vezes até os seus pontos se acumularem e irá se transformar em uma vida extra.

Nesta fase o seu sapo também pode virar um sino e rebater de um lado para o outro arrebentando os robôs que também infernizam o seu pobre bichinho.

Terceira fase e ultima para muitos jogadores:

É nesta fase que se divide os homens das crianças.

Por que tem que ser muito macho para conseguir passar desta fase.

No inicio apenas uns ratos aparecem e nada como umas boas botinadas para resolver a situação, porem vidas podem ser perdidas se você errar o pulo de uma ilha para outra.

Mas é mais pra frente que o bicho pega.

O seu sapo encontra um carrinho que tá mais pra Jet ski voador, e é ai que você vai sofrer.

No comando desse Jet ski você terá que desviar dos paredões que surgem na sua frente, conforme a fase vai avançando a velocidade do carrinho aumenta absurdamente e os muros começam a vir numa sequencia assustadora.

Acredito que o termo jogador hardcore que hoje é tanto comentado por especialistas, devia ser usado nesta época pelos milagrosos que conseguiram terminar este jogo.

Ao terminar essa terceira fase, você pensa que o pior já passou, mas está enganado.

Nas próximas fases seu sapo tem que correr em cima de cobras e não pode sequer tocar em espinhos ou morre, e na outra fase onde seu sapo surfa, ele desce uma corredeira cheia de minas explosivas e ai voce já sabe, tocou morreu.

 

Mas apesar da dificuldade enorme, Battletoads conseguiu atrair um numero altíssimo de fãs que passaram horas e horas para conseguir salvar aquela linda princesinha.

E vou assumir aqui que eu não consegui terminar este game, mas se você teve a honra de zerar este jogo, eu lhe digo que você está entre poucos que conseguiram esta audácia e devia ter um troféu na sua estante com os dizeres:

“Eu sou um gamer Hardcore de verdade, zerei Battletoads!”.

E vou dizer mais uma grande verdade, terminar os FPS que existem hoje em dia é moleza,  o seu personagem tem continue infinito ou se cura apenas ficando escondido atrás de uma mureta, quer coisa mais facil que isso!?

É “mel na chupeta” comparado com os games de antigamente, onde não existiam vidas ilimitadas e nem sabíamos o que era um save game.

E o pior é que consideravam vídeo game naquela época apenas como um brinquedo de criança.

Volte a jogar este game e mostre para você mesmo que evoluiu muito e consegue passar ao menos da terceira fase.

Um bom game pra todos e semana que vem tem mais.
Fui pro game…

 

Gameplay:

Leandro Vallina
Formado em Comunicação Social. Tem como prioridade na vida cuidar da filha, jogar videogame, alimentar e passear com os cachorros, alimentar e passear com a esposa e jogar mais um pouco de videogame.

Leandro Vallina publicou 1130 posts. Veja outros.

Publicidade