Semana Total Recall   Análise e crítica da série Total Recall 2070

Como a série começou

Total Recall 2070 é um série de ficção científica lançada em 1999 pelo canal canadense  CHCH-TV, depois sendo retransmitida nos Estados Unidos pelo canal Showtime. A versão americana da série recebeu alguns cortes devido as cenas de nudez, violência e linguagem forte. A série foi filmada em Toronto no Canadá e teve somente uma temporada, com vinte e dois episódios produzidos.

A inspiração e base da série foi o filme Total Recall de 1990, que por sua vez teve como inspiração a curta história “Podemos Recordar para Você, por um Preço Razoável” de Philip K. Dick e também “Andróides Sonham Com Carneiros Elétricos?“. Além da empresa Rekall e o conceito de lembranças virtuais, a série não compartilha quase ou simplesmente nada com o filme ou os trabalhos de Philip K. Dick , valendo lembrar que o mesmo não é creditado em nenhum dos episódios da série.

  Trama

1314800739091 total recall 2070 tms 2x1 590 295 Semana Total Recall   Análise e crítica da série Total Recall 2070

Tudo se passa na Terra, no ano de 2070 (Capitão Óbvio Aprova!), em um lugar de aparência industrial, aonde o escuro prevalece e a chuva não para, o que sem dúvida lembra muito o filme Blade Runner. David Hume (Michael Easton) é um detetive que trabalha para o Citizens Protection Bureau (Bureau de Proteção ao Cidadão) que é uma divisão da policia. Depois que seu parceiro é assassinado por um andróide ele é posto para trabalhar com Ian Farve (Karl Pruner), um andróide estúpido e ingênuo. A série vai girando em torno de um jogo sujo entre as maiores corporações do país, entre elas a Rekall, responsável por lembranças implantadas, e a Uber Braun, uma empresa fabricante de andróides.

Não se preocupe se você não entendeu nada, a série tenta ser algo “cabeça” mas acaba falhando e se transformando em um fracasso total e doloroso de assistir.

Análise dos primeiros três episódios

lh total recall 2070 Semana Total Recall   Análise e crítica da série Total Recall 2070

Primeiramente gostaria de dizer que sim, eu consegui assistir a três episódios completos desta catástrofe barata e desagradável sem estar sob o efeito de nenhuma substancia licita ou ilícita, agora vamos para o que interessa (ou não).

Podemos notar falhas graves na adaptação, como por exemplo a existência e uso regular de CD’s no ano 2070, equipamentos futuristas que não tiveram um design apropriado, parecendo algo que pertence a um seriado de Sci-Fi dos anos 60. Pelo menos as cenas de computação gráfica são agradáveis.

O personagem principal, David Hume, é mais um típico estereótipo de policial a lá Max Payne, com terno, sobretudo e gel no cabelo, com uma voz grossa e áspera que se iguala a de uma pessoa alcoólatra e fumante que certamente comeu cactus com suco de pregos no café da manhã. Seu parceiro é um robô que aparentemente sabe tudo e tem sentimentos, mas tudo isso é simplesmente mal explorado na série fazendo o personagem se tornar alguém detestável e irritante. Michael Rawlins faz o papel de Martin Ehrenthal, superior de David Hume, esse já se destaca, mas não por uma ótima atuação, mas sim pelo pior desempenho artístico existente dentro de uma pessoa só, se colocassem um saco de papel na cabeça de Rawlins não iria fazer a mínima diferença na sua lastimável atuação. Todos os outros personagens são insignificantes na série, e perder qualquer segundo falando especificamente sobre algum deles seria uma extrema e dolorosa perca de tempo.

A trama é simplesmente nojenta de tentar entender, conspirações envolvendo as corporações dominantes e andróides que parecem cadelas no cio atirando em tudo e todos que vêem pela frente, é nisso que a série se mantém, além das investigações superficiais e diálogos mortos que dão mais sono que aula de história sobre a Guerra do Paraguai.

A série não é nada de espetacular ou especial, apenas mais uma no meio de várias outras, mal desenvolvida e cheia de clichês e erros infantis. Se a série apresentasse mais cenas de sexo ou nudez iria parecer mais um filme “soft porn” de baixo orçamento e com uma péssima historia, daqueles que costumavam passar nas madrugadas do Cine Privê, talvez isso deixaria o seriado melhor. Total Recall 2070 tem uma ótima premissa, mas escorregou em uma casca de banana e caiu dentro do escuro poço da vergonha, do qual jamais deve ser resgatado.

Nota final: 4.0/10.0 - Somente assista se não tiver mais nada de bom passando na TV, e não esqueça de considerar atividades mais produtivas em primeiro lugar, como por exemplo, separar feijões pra sua mulher fazer o almoço ou arrancar seus olhos fora com uma colher.

Participe das 2 (duas) promoções que estamos realizando nessa Semana Total Recall:

Concorra a 12 pares de ingressos para o filme Total Recall 2012 na nossa fan page (sorteio dia 12 de agosto)

E ouça o nosso podcast sobre Total Recall  e concorra a um Kit Total Recall (ingressos+camiseta+pen drive) respondendo a pergunta que está lá no post FGcast# 10