[Catálogo] – À Prova de Balas

À Prova de Balas

 

Adam Sandler e Damon Wayans…uma excelente dupla que poderia ter resultado em um filme espetacular.

Quem acompanha a carreira de Adam Sandler sabe que ele atua sempre do mesmo jeito, mas as suas escolhas de roteiros alternam entre os excelentes e os intragáveis, com ele é uma no cravo outra uma na ferradura.

Ao mesmo tempo em que adorei filmes como os divertidíssimos “O Paizão”, “Um maluco no Golfe”, “O Rei da Água”, “Tratamento de Choque”e os emocionantes “Click” e “Como se fosse a primeira vez”…foi também com Sandler que passei algumas de minhas mais sofridas horas em uma sala de cinema com os péssimos “Gente Grande” e “Cada um tem a gêmea que merece”…

OK, se olharmos o todo o cara ainda tem muito crédito, afinal não citei uma série de outros filmes espetaculares dele como “Os cabeças de Vento” e “Afinado no Amor”.

Mas hoje vou falar de um filme que se destaca dos demais por não ser nem tão bom e nem tão ruim, algo pouco comum na carreira de Sandler…estou falando de “A prova de Balas”…não, não é o do monge pelo amor de Deus.

MSDBULL EC029

Bulletproof (no Original) é um filme de 1996, dirigido por Ernest Dickerson que até então só tinha feito, de significativo, o filme ”Juice, Uma questão de respeito” que só fez algum sucesso por contar com o músico Tupac Shakur. Depois de À Prova de Balas” também não fez mais nenhum longa que valha a pena ser lembrado, se dedicando exclusivamente à séries de TV, dirigindo vários episódios de séries de sucesso como “Plantão Médico”, “Dexter” e “The Walking Dead”.

No filme Adam Sandler vive o bandido pé de chinelo Moses, e divide o estrelato com Damon Wayans (que consegue a proeza de aparecer no segundo post seguido da coluna Catálogo). Wayans é Keats, um policial infiltrado que cria esta amizade com Moses para tentar chegar a um chefão do tráfico, o grande James Caan, que já foi até um Corleone e provavelmente teve o maior cachê do filme, mesmo não sendo um dos protagonistas.

bp

Quando a emboscada acontece e a verdadeira identidade do policial é revelada, a amizade dos dois é destruída, não posso dar maiores detalhes aqui para não passar nenhum spoiler, mas no decorrer da história Keates tem que proteger Moses de ser morto, ele fez um acordo com a polícia para entregar o chefão que agora quer apagá-lo de qualquer maneira.

O filme conta com algumas cenas bem engraçadas, como quando Moses e Keates precisam passar a noite na suíte de lua de mel de um motel de beira de estrada, mas eu classificaria o filme mais como um policial do que uma comédia. Apesar da especialidade dos protagonistas ser a segunda opção. O filme conta com excelentes cenas de ação, reviravoltas com relação a corrupção policial e muitos e muitos tiroteios.

O filme custou aproximadamente 25 milhões de dólares e mal conseguiu recuperar este valor nas bilheterias. Como na época o home vídeo ainda significava algo financeiramente para as distribuidoras, talvez tenha conseguido não dar prejuízo, mas nada que valesse uma continuação.

Nem mais um passo ou o cachorro morre!!!

Nem mais um passo ou o cachorro morre!!!

Enfim, se você já se cansou de re-assistir seguidamente toda a série Máquina Mortífera e está procurando um bom filme policial com cenas engraçadas assista…não..peraí…pensando bem, assista novamente Máquina Mortífera.

Curtam o trailer original e sintam o detalhe, “Available on VideoCassete”:

Mau Franco
Formado em ciências da computação e pós-graduado em administração e gerenciamento de projetos, trabalha 9 horas por dia em uma grande empresa. O pouco tempo que lhe resta é passado com sua esposa, filhos, cachorros, alguns poucos games e algumas centenas de filmes.

Mau Franco publicou 264 posts. Veja outros.

Publicidade