[Game Design] Jogos de Tabuleiro

GoT

O mercado de games é mais do que gigantesco hoje em dia – é colossal. A indústria de jogos já superou a do cinema – para muitos, um fato óbvio, mas a maioria acharia isso impossível há pouco tempo. Porém, muito antes de milhões de pessoas jogarem em suas casas conectadas ao mundo todo, os amigos já se reuniam para jogar juntos sem o auxílio nem da televisão. O pessoal pegava uma caixa, tirava o tabuleiro de dentro, arrumava as peças, os dados e se divertia. Jogos de Tabuleiro são, praticamente, os pais dos videogames e, se você ignora essa opção de entretenimento, você é menos feliz do que poderia ser.

War

Todo mundo sabe o que é um jogo de tabuleiro, né? Aquele que vem numa caixa com tabuleiro, peças e dados, em que o objetivo é vencer seus amigos com uma mistura de estratégia e sorte nas jogadas. As regras costumam ser bem simples, geralmente impressas num folheto ou estampadas na própria caixa. Esses jogos ainda são vendidos em lojas de brinquedos e, apesar de Banco Imobiliário, War e Jogo da Vida ainda serem praticamente os únicos a terem visibilidade, é possível descobrir muitos jogos interessantes pelas prateleiras, seja para jogar com a família ou com os amigos.

Frag

Pensar que os tabuleiros são rústicos, atrasados ou entediantes em relação aos games é um erro esdrúxulo. A diferença óbvia é que os games possuem uma interface visual muito atrativa e chamativa, mas todo bom gamer sabe que bons gráficos não significam diversão. As possibilidades de temas e abordagem para ambos são infinitas, games podem ser extremamente variados – e os tabuleiros também.

IMG_5689

Jogos de tabuleiro aguçam muito mais a imaginação e o raciocínio dos jogadores, pois estimula-os a traçar estratégias e táticas para saírem vitoriosos de forma dinâmica e interativa – seus rivais não estão do outro lado da tela, eles estão ao seu lado e observá-los é uma dimensão a mais a ser explorada. Os tabuleiros também estimulam bem mais a socialização entre os amigos: ficar no videogame é legal e confortável, mas, quando o assunto é interação, é muito mais divertido estar lado a lado com os competidores e poder comer salgadinhos enquanto tira sarro do seu colega que está na pior naquela partida.

Ceilikan

Atualmente, os jogos clássicos já citados predominam no Brasil, mas é por pura preguiça do público de procurar opções mais novas e interessantes. No nosso país, ainda temos algumas empresas focadas em criar jogos bem originais, como a Ceilikan – com Ouro de Tolo e Samurai – e a Galápagos – com Summoner Wars e Sim, Mestre das Trevas -, produzindo jogos que merecem ser conhecidos pelo grande público. Algumas empresas também investem em traduzir os jogos importados, como a Devir, que nos trouxe o Talisman e o World of Warcraft. Falando nesse último, é bem comum ver games serem transportados para os tabuleiros, como Halo e Gears of War – e até seriados como Game of Thrones. Há também algumas releituras de games como, por exemplo, o jogo Frag, que simula uma partida de FPS – tiro em primeira pessoa – em que você precisa andar pelo mapa e matar os seus adversários, podendo pegar seus itens “droppados” e acumulando pontos até um se sair vencedor.

WoW

Os seres humanos sempre criaram e sempre criarão todos os tipos de jogos. Tabuleiros, cartas e games serão sempre criados e reinventados – e novos gênereos ainda surgirão, mas os antigos jamais deixarão de existir. Você não precisa deletar a sua conta no WoW, nem vender o seu Playstation, mas aceite o meu conselho: compre um jogo de tabuleiro novo e chame os seus amigos, vocês vão renovar os seus conceitos de diversão.

 

Bernardo Stamato
Vencedor do Concurso Cultura "Eu, Criatura" da Devir Livraria, formado em Letras, professor de Game Design e 3D Fundamental na empresa Seven Game e escritor (http://entrevirtudesevicios.blogspot.com/). Quando dá tempo para respirar, lê e joga PS3 também.

Bernardo Stamato publicou 107 posts. Veja outros.

Publicidade