[Sabe Aqueles Filmes…] Crítica – O Oitavo Dia

811af1ae1e299d5bafa930aec6c3d0a5_jpg_290x478_upscale_q90

Le Huitième Jour é um filme belga do ano de 1996 que conta a história de Harry e Georges. Harry é um empresário que trabalha no departamento comercial de um banco belga e que foi abandonado pela mulher e filhas. Ele se dedica ao trabalho todos os dias da semana, trazendo para seu dia-a-dia as regras básicas que repassava a seus empregados: sorrir, dando a impressão de sucesso, pois as pessoas preferem uma pessoa bem sucedida a um perdedor e ser entusiasmado. Com pessoas ao redor, ele agia de acordo com essas regras, mas sozinho notava-se seu fracasso como um pai de família. Já Georges é um homem que sofre de síndrome de Down e vive num abrigo para pessoas especiais e vê o mundo como um grande local de descobertas.

Num final de semana, quando os pais vão ao abrigo buscar seus filhos, Georges arruma suas coisas e espera pela mãe que não chega. Então resolve sair do abrigo, tentando encontrá-la. O destino acaba unindo esses dois, que no decorrer do filme, tornam-se amigos. Primeiramente Harry queria livrar-se de Georges, mas ao encarar a realidade do jovem com Down, que encara a vida com uma simplicidade que hoje em dia é cada vez mais rara, ele se deixa levar e começa a encarar a vida de maneira diferente daquela que vivia.

Apesar de ser um drama que envolve indiretamente uma relação amorosa, o que por si só já chamou a atenção, já que a maioria dos dramas se volta para o lado romântico, o filme consegue ser mais do que o esperado. Tratar de um assunto que é a síndrome de Down tem sido recorrente no mundo cinematográfico, como visto recentemente no filme brasileiro Colegas. Apesar disso, O Oitavo Dia consegue trazer para nós telespectadores aquela sensação de que, para eles, a vida é simples e que nós somos os estranhos que complicamos tudo ao nosso redor.

A película arranca muitas lágrimas, mas também algumas risadas, como quando Georges aparece pela primeira vez, na chuva, após Harry atropelar um cachorro, ou quando obriga Harry a rir. Essa maneira simples de encarar a vida e os problemas torna o filme especial e posso, com absoluta certeza, dizer que esse foi uma dos filmes do gênero drama que mais gostei em todos esses anos.

A grande lição de vida que ele nos passa é que não devemos nos deixar vencer pelo trabalho, temos que ter um tempo para nossas famílias, para nossos amigos, para nós mesmos. Temos que aproveitar, as coisas mais simples, aquelas que não damos o menor valor, pois elas sim são as melhores.

Nota do Autor: 9.5
Nota do público:(18 votos) 9.9
Dê a sua nota:

Sinopse:

Harry (Daniel Auteuil) é um empresário estressado, que trabalha no departamento comercial de um banco belga e foi abandonado por sua esposa e filhas há pouco tempo. Deprimido, ele se dedica ao trabalho durante os 7 dias da semana. Até que um dia ele decide vagar pelas estradas da França, sem rumo definido. Após quase atropelar Georges (Pascal Duquennes), que sofre de síndrome de Down, Harry decide levá-lo para casa mas não consegue se desvencilhar dele.

 

Galeria de Imagens:

002_daniel_auteuil_theredlist

Le Huitième Jour[(071253)17-09-43]

i_14357_huitieme_jour_le_photo_de_presse__2

huitieme-jour-1996-12-g

Le-Huitieme-jour-20091271155

PE 13

huitieme-jour-07-g

Le-Huitieme-jour

Poster Oficial

Stefanny Oliveira
Formada em Letras Língua Portuguesa, faz Jornalismo e é viciada no Twitter. Vive nos cinemas e adora dar uma de crítica profissional. Assiste mil séries ao mesmo tempo e sempre tem um comentário na ponta da língua para cada uma delas. Nerd assumida e tudo por culpa do Tony Stark. Ama música e sempre está com seus fones de ouvido pra onde quer que vá. Ouve principalmente Indie Rock e odeia quem comete o homicídio de seus ouvidos.

Stefanny Oliveira publicou 194 posts. Veja outros.

Publicidade