Winter, o Golfinho 2 (Dolphin Tale 2) – Crítica

Em tempos de BlackFish, Winter se saiu muito bem.

w1

Antigamente nós assistíamos a filmes do tipo Flipper com outros olhos, afinal acreditávamos que aqueles “pets” estavam vivendo em lugares mágicos e bem acomodados.

É claro que o documentário BlackFish (recomendo e tem na Netflix) é uma porrada na cara de muita gente, afinal, você tirar um peixe (nesse caso um mamífero) de um oceano e o coloca para viver em um tanque de 15 metros quadrados pro resto da vida dele é uma baita sacanagem.

Mas Winter, o Golfinho 2, assim como o primeiro filme da série, consegue nadar por esses mares turbulentos sem ofender os defensores e ainda passa uma belíssima mensagem às crianças (e adultos).

w2

Baseados em fatos reais, em que um golfinho com uma deformidade na cauda consegue superar o trauma através de uma prótese, Winter entra em estado de estresse após perder seu parceiro de tanque, já que ele está apto a voltar ao mar, mostrando uma das frases mais bonitas do filme “salvar, recuperar e devolver”.

Com isso as crianças que sempre estiveram ao lado do golfinho desde o primeiro filme, Sawyer (Nathan Ganble) e Hazel (Cozi Zuehlsdorff) tem a missão de conseguir recuperar o ânimo do animal que, sozinho no tanque, entra em depressão.

O filme tem belíssimas cenas de interação dos mamíferos com os humanos e não chega a surpreender no roteiro. Na verdade é indicado ver com certa distância do primeiro filme, já que muita coisa se repete, mas como ele tem a ideia de respeitar e recontar a história original, com certeza faz isso com mérito.

w8

Um belo filme para se ver com a família e se bobear ainda arrumar alguns defensores da causa aqui no Brasil.

Trilha sonora bonita, Califórnia ensolarada e pessoas do bem, não tem como dar errado se você também estiver no clima de Sessão da Tarde na praia.

Nota do Autor: 8
Nota do público:(9 votos) 4.2
Dê a sua nota:

Sinopse:

Alguns anos se passaram desde que o jovem Sawyer Nelson (Gamble) e a dedicada equipe do Clearwater Marine Aquarium (CMA), chefiado pelo Dr. Clay Haskett (Connick, Jr.), resgataram Winter, um jovem golfinho que perdeu sua cauda depois de ser preso em uma armadilha para caranguejos. Com a ajuda do Dr. Cameron McCarthy (Freeman), que desenvolveu uma cauda protética única para Winter, eles salvaram sua vida, contra todas as probabilidades. Em troca, ela ajudou a salvar o local – as pessoas vinham de longe para ver em primeira mão o corajoso golfinho, permitindo que o CMA expandisse sua missão de “resgatar, reabilitar e, quando possível, devolver ao seu habitat” animais feridos.

Porém, sua luta não acabou. Com a idade avançada, a mãe adotiva de Winter, Panama, falece, deixando o golfinho sozinho e de luto, não querendo se envolver com ninguém, nem mesmo com seu melhor amigo, Sawyer. E a perda de Panama pode ter repercussões ainda maiores para a CMA. A USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos – órgão responsável pela conservação dos recursos naturais do país) adverte Clay que eles terão que deslocar Winter do local, pois os regulamentos exigem que os golfinhos convivam com outros animais da mesma espécie. Se eles não encontrarem uma companhia fêmea – uma que ela aceite – o CMA irá perder sua amada Winter.

Mas como o tempo está se esgotando, eles precisam manter a esperança…

Trailer:

Imagens e fotos:

w3

w4

w5

w6

w7

 

Leandro Vallina
Formado em Comunicação Social. Tem como prioridade na vida cuidar da filha, jogar videogame, alimentar e passear com os cachorros, alimentar e passear com a esposa e jogar mais um pouco de videogame.

Leandro Vallina publicou 1210 posts. Veja outros.

Publicidade