Ascension [Holodeck]

2dc5e1c0805399be6b4e12e9c08232dd-5bd9a5f1ff534fbf254370a899d81779Computador acionar programa Alpha-Centauri-1701-Ascension. Ao meu sinal acionar holossimulação.

O que falar de uma minissérie que leva ao espectador a instigante pergunta “E se…?” E se o homem nunca foi para a lua? E se os nazistas tivessem ganhado a Segunda Guerra Mundial? E se o homem tivesse ido ao espaço com a tecnologia da década de 1960?

E é neste último “E se…” que a série Ascension, produzida pelo SyFy channel e que foi ao ar nos EUA em dezembro de 2014 trazendo como história a possibilidade de navegar entre as estrelas utilizando a tecnologia da corrida espacial da década de 1960. Seria uma possibilidade real ou nada mais é que a pura fantasia?

Enquanto divagamos no que é mostrado em tela, antes de continuarmos a explorar o que acontece em Ascension e tudo aquilo ao redor desta enorme nave, deixo-lhes com a premissa que dá início a esta história.

Ascension é inspirada no Projeto Orion, que existiu quando John F. Kennedy fora presidente dos Estados Unidos da América. A série mostra-nos uma realidade alternativa em 1963, momento quando Presidente Kennedy e o governo americano, temendo a Guerra Fria poderia se tornar um pouco mais quente e que isto levaria a destruição da Terra, decidiu criar uma missão secreta espacial. Nesta missão foram 350 voluntários, entre homens, mulheres e crianças, que viajariam ao longo de um século na nave geracional USS Ascension. A missão deles seria colonizar um planeta orbitando Proxima Centauri, para, assim, assegurar a continuação da raça humana. No ano 51 quando eles se aproximam cada vez mais do ponto sem retorno para a nave, um misterioso assassinato de uma jovem moça – o primeiro homicídio desde a partida de Ascension – faz com que a tripulação da nave comece a questionar a verdadeira natureza da missão deles.

Imagem retirada...

A partida

Quando vemos a estrutura da narrativa desta história podemos perceber que o primeiro lance aqui é um estudo acerca de como o ser humano pode conviver num espaço confinado e com um futuro pré-estabelecido, no qual aquele momento seria quase que um nada, já que é a segunda de mais outras duas gerações a chegar em Proxima Centauri.

Quem poderia se imaginar numa nave estelar onde o seu objetivo seria colonizar um planeta tão distante do seu próprio que sequer poderiam ter notícias da Terra. E se ela ainda não tivesse sido destruída? E quem aguentaria, por tanto tempo, ficar enclausurado sem nenhuma perspectiva de futuro?

Será que ela chegará a Proxima Centauri?

Será que ela chegará a Proxima Centauri?

Um dos momentos interessantes da história desta minissérie é que todos que estão na Ascension não fazem parte do mesmo ciclo social. De alguma forma – em algum ponto da jornada daquela nave – a criação de classes precisou existir para que a sociedade pudesse transitar normalmente dentro daquele espaço confinado, no entanto, sabemos que toda divisão de classes leva a possíveis levantes populares. Um belo estudo social.

Outro fator que leva uma questão de curiosidade é que tudo que está dentro da nave, desde as roupas, cenários e trejeitos, evocam intimamente a década de 1960 americana, é como voltar no tempo!

No entanto, como minissérie, a história de Ascension não engrena por completo, faltando muitas lacunas para dar ao espectador aquela vontade de se agarrar a um tipo especifico de personagem, sentir raiva de outro ou pena daquele acolá. Diferente da minissérie de BattleStar Galactica – também produzida pelo SyFy Channel -, Ascension ficou em falta com protagonistas e antagonistas mais reluzentes e instigantes.

s01_e0101_ascension_1920x1080_141462738625

De toda forma, para aqueles que sentem falta de uma história interessante de ficção científica e que dá ao espectador um certo momento de “e agora?”, Ascension é uma boa minissérie para começar bem 2015.

Computador terminar o programa. Gravar nota no sistema.

Holodeck_in_Emissary

Nota do Autor: 6
Nota do público:(1 voto) 10
Dê a sua nota:

Galeria:

ascension1

ascension2

ascension3Trailer:

Daniel G. Fernandes
Este ser é um viciado em games, sejam de consoles, sejam de PC's e tem uma paixão arrebatadora em Tecnologia, aficcionado em filmes dos anos 1980 e 1990, ele pode não se lembrar o nome do diretor, do filme ou do ator, mas quando tem opinião ele fala mesmo! SegaManiaco de Coração, ele também bate ponto nos sites Gamehall, Marketing & Games, Blast Processing, Brazuca Gamer e Comunidade Mega Drive!

Daniel G. Fernandes publicou 49 posts. Veja outros.

Publicidade

  • mau_franco

    Eu tinha visto o trailer e achei a premissa muito interessante. Mas me preocupa ser do Scy Fy Channel.
    Vc disse que é uma MINI série. Pq? Tem um número definido de episódios?
    Se for curtinha eu vou arriscar…