Foxcatcher – Uma História Que Chocou o Mundo (Foxcatcher) – Crítica

O cinema está lotado de filmes biográficos, histórias marcantes sobre figuras muito conhecidas e alguns sobre aquelas que fazem parte de nossa história e pouco as notamos. Bennet Miller, diretor de grandes filmes sobre histórias verídicas como O Homem Que Mudou o Jogo e Capote, nos traz um acontecimento que pode ser uma promessa para o Oscar: Foxcatcher – Uma História Que Chocou o Mundo.

640x0_1415383966

Mark Schultz (Channign Tatum) é um lutador e campeão olímpico da luta greco-romana que agora passa por um momento difícil em sua carreira. Tendo sempre treinado com seu irmão, e também lenda do esporte, Dave Schultz (Mark Ruffalo), Mark acaba por viver em sua sombra até que atende uma ligação no nome de John du Pont (Steve Carell). Chegando até a mansão do milionário, Mark recebe a oferta de treinar no centro de treinamento Foxcatcher, onde receberia um salário bom e também moraria em uma casa na mesma fazenda em que seu chefe, du Pont, e o centro de treinamento estariam. Mark aceita e assim começa uma amizade íntima com du Pont, porém a personalidade perturbada do milionário pode fazer com que Mark tome decisões difíceis e acabe por seguir em um caminho que nenhum esportista deveria.

Sendo esta história um caso verídico, não há o que dizer sobre se o enredo é bom ou ruim. É uma história interessante que te prende facilmente no começo do filme até a sua metade. Mas, pelo ritmo extremamente cansativo e maçante, Foxcatcher acaba por desanimar, mas há pontos que salvam e nos fazem continuar assistindo.

O principal e quase único são as atuações fenomenais do trio principal composto por Steve, Channing e Mark. Todos os atores estão excelentes no longa com destaque à Mark e Steve que tiveram indicações para o Globo de Ouro, e isto prova o valor que o diretor tem a partir do momento em que ele transforma figuras da comédia como Steve e Tatum em astros com atuações muito boas em um drama tenso. A lista do Oscar acabou de sair, Steve está na lista dos indicados a Melhor Ator e Ruffalo está concorrendo como coadjuvante, mas ele tem um obstáculo à frente chamado J. K. Simmons em seu excelente Whiplash que não possui uma fotografia como a de Foxcatcher.

Já que o filme é quase todo ambientado na fazenda de du Pont, Foxcatcher acaba por ter uma fotografia lindíssima que consegue expressar estações do ano e ao mesmo tempo a solidão que alguns dos personagens, principalmente du Pont, têm naquela história. Tudo isso em um contraste perfeito com a trilha sonora melancólica, basicamente composta de pianos leves e silenciosos que pode passar despercebido por muitos. Outro fator que brilha no filme, e ganhou o seu lugar nos indicados ao Oscar, é a maravilhosa maquiagem que há nos personagens. Carell possui uma prótese no nariz que o deixa muito semelhante ao original John du Pont, Ruffalo consegue estar muito diferente com sua aparência estranha e deprimente e Channign Tatum com suas orelhas machucadas de lutador e nariz quebrado.

Nenhum ponto realmente negativo foi apontado no filme senão o ritmo pesado, mas temos um que é culpado pelo ritmo maçante e se chama roteiro. Eu entendo que nessa trama é essencial um desenvolvimento detalhado e bom dos personagens, objetivo este que foi cumprido com perfeição. Porém, devido ao enfoque imenso neste detalhe, o ritmo, motivação e acontecimentos acabaram por ficarem confusos. Em vários momentos do filme você pode ficar perdido com o que acabou de acontecer pelo longa não deixar claro, podendo te deixar confuso e até frustrado.

Foxcatcher nos trouxe uma história que pode não ter chocado todo o mundo, mas que é interessante com um destaque e foco muito bem executado na personalidade de seus personagens, um show de atuações do trio principal mas que, por ter se focado tanto nos mesmos, acabou por esquecer de outros pontos muito importantes para deixar o filme mais chamativo e de forma que prenda o espectador. Mesmo assim, consegue transmitir como certas pessoas podem enlouquecer pelo poder e apodrecer aqueles que estão ao seu redor. Uma história que merece reconhecimento.

Nota do Autor: 8
Nota do público:(4 votos) 6.1
Dê a sua nota:

 

Galeria de Imagens:

Foxcatcher

chilling-first-trailer-for-foxcatcher-with-steve-carell-5

foxcatcher-1

foxcatcher-channing-tatum-mark-ruffalo1

Trailer:

Arthur Lopes
Canal pessoal - Marmota Frita Fanático por cinema e video games em geral desde sempre, estuda administração mas seu verdadeiro amor permanece no mundo da sétima arte. Ama qualquer gênero cinematográfico, indo de romance até terror mas com preferência no drama, o que fez com que Batman - O Cavaleiro das Trevas se tornasse o seu filme favorito, consagrando Nolan como o mesmo. Mas também admira outros mestre do cinema como Eastwood e Tarantino. Escreve nas horas vagas e está adaptando um conto no intuito de transforma-lo em um roteiro para longa-metragem.

Arthur Lopes publicou 264 posts. Veja outros.

Publicidade

  • mau_franco

    Uma coisa não ficou clara pra mim, o que chocou o mundo?

    O filme não é uma galinha gigante para chocar o mundo, então deve ter acontecido algo muito sério e não só treinamento pra luta. Como é baseado em uma história real, acho que isso poderia ficar mais claro no trailer mas não consegui pegar…

    Belo texto cara!

  • Arthur Lopes

    pois é Mau, esse é um detalhe que só mostra no último minuto de filme. Mas de verdade, eu duvido que tenha chocado o mundo, tanto que nós nem ouvimos falar nessa história uahsuahs. Brigado cara =D