Animais Fantásticos e Onde Habitam (Fantastic Beasts and Where to Find Them) – Crítica

Após 5 anos, o universo de Harry Potter está de volta!!!

538656-jpg-r_1920_1080-f_jpg-q_x-xxyxx

Newt Sacamander (Eddie Redmayne, A Teoria de Tudo) é um pesquisador de animais que viaja para Nova York nos EUA com o intuito de descobrir uma nova espécie, e coloca-la em seu catálogo para um futuro livro. No entanto, ao chegar na cidade, Newt acaba perdendo sua maleta a qual abriga tais animais, e os mesmo fogem causando a discórdia na cidade. Agora, Newt corre atrás de conseguir recuperar os animais e deixar a cidade em paz, enquanto um novo mau eminente tenta se impor no seu caminho.

Esqueça Harry Potter.

Animais Fantásticos e Onde Habitam é ambientado nos anos 20, ou seja, quase 100 anos antes de toda a saga Harry Potter acontecer. Mas o motivo do é importante não pensar na saga já existente, é justamente a diferença que ambas têm entre si, tanto em seu tom (em certos momentos) quanto em qual o foco da história.

Basicamente, o enredo todo de Animais Fantásticos e Onde Habitam é uma simples aventura e nada. Não há um aprofundamento das entidades do mau como havia com Voldemort, por mais que aqui tenhamos o nosso vilão. Quase toda a história de Animais é uma simples aventura recheado com muito humor, até destoando bastante dos últimos filmes da saga HP que se tornaram mais sombrios e sérios. Aqui é evidente como o foco é atingir o novo público teen, sendo assim, a comédia é predominante e utilizada de forma excelente e na dose perfeita, assim como as inúmeras cenas de combate, feitiços e aparatações (feitiço do universo) são utilizados.

No entanto, o filme também aborda um lado sombrio, e que é apresentado e predominante na essência apenas quando a entidade maligna entra em cena no filme, e isso nos traz uma breve lembrança dos últimos filmes da franquia. É claro que aquilo que não poderia faltar é justamente os grandiosos animais fantásticos, e devo dizer que são realmente fantásticos, lindos e divertidos! Todas as cenas em que são utilizados, a apresentação dos deles e até mesmo os combates e pequenos arcos envolvendo-os são incríveis.

Porém, o real problema do filme é justamente o fato dele ser um pouco cheio demais. Há muita sub tramas no longa todo, desde a aventura de Newt à romances, a polícia de bruxaria de Nova York e até mesmo uma família de trouxas que lutam contra as bruxas. Isso tudo faz com que o filme saia um pouco dos trilhos em alguns momentos, se alongue demais em outros e até canse um pouco, prejudicando parcialmente o filme.

Mas muito do brilho do longa é dado justamente aos seus personagens e atores escalados perfeitamente para seus respectivos papéis.

Como Newt Scamander temos o talentoso Eddie Redmayne que por mais que utilize de muitos trejeitos já feitos em outros filmes, está impecável como o esquisitão e excêntrico que é seu personagem. Além de tudo, o personagem consegue demostrar emoção quando necessário, seja por outros personagens ou até mesmo os animais, mas além de tudo um humor excelente que torna o filme mais leve, isso junto de Dan Fogler que interpreta Jacob Kowalski, o homem que abre a maleta. Este é de longe o maior alívio cômico de todo o filme é tão bem utilizado que não deixa o filme besta, mas não sério. Dose perfeita. Ainda temos Katherine Waterston e Alison Sudol, ambas que ajudam na aventura de Newt e as duas que conseguem cativar cada espectador. Ezra Miller como o crente que luta contra as bruxas, um ótimo ator para um papel medíocre, mas importante para a trama. E também Colin Farrell como Percival Graves e Johnny Depp como Gerardo Grindelwald, uma participação minúscula, mas promissora nos filmes seguinte.

A fotografia e ambientação de todo o filme é incrível, seja com suas paletas de cores mórbidas que lembra muito alguns filmes de máfia, até mesmo as roupas de Newt Scamander que são completamente destoantes de todo o resto do longa.

E por fim a trilha sonora que não é feita pelo glorioso e majestoso John Williams (compositor de Herry Potter), mas sim por James Newton Howard que não tenta imitar o que foi feito por Williams e faz quase tudo do zero, sendo brilhante até o ponto que consegue.

Animais Fantásticos e Onde Habitam não tenta sugar daquele que o originou, mas tenta agregar aos fãs e ao universo, dando mais para que nós fãs consigamos nos divertir. Sua aventura é extremamente boa assim como seu humor magnificamente perfeito, e por mais que ainda tenham alguns problemas no roteiro muito inchado, Animais cativa, prende, diverte e nos dá a nostalgia de um universo que acompanhamos durante tanto tempo e temos saudades. Um filme realmente Fantásticos!

Nota do Autor: 8.5
Nota do público:(4 votos) 6.3
Dê a sua nota:

085476-jpg-r_1920_1080-f_jpg-q_x-xxyxx 147206-jpg-r_1920_1080-f_jpg-q_x-xxyxx 148300-jpg-r_1920_1080-f_jpg-q_x-xxyxx 148768-jpg-r_1920_1080-f_jpg-q_x-xxyxx 461568-jpg-r_1920_1080-f_jpg-q_x-xxyxx 463599-jpg-r_1920_1080-f_jpg-q_x-xxyxx 592923-jpg-r_1920_1080-f_jpg-q_x-xxyxx

Trailer:

Arthur Lopes
Canal pessoal - Marmota Frita Fanático por cinema e video games em geral desde sempre, estuda administração mas seu verdadeiro amor permanece no mundo da sétima arte. Ama qualquer gênero cinematográfico, indo de romance até terror mas com preferência no drama, o que fez com que Batman - O Cavaleiro das Trevas se tornasse o seu filme favorito, consagrando Nolan como o mesmo. Mas também admira outros mestre do cinema como Eastwood e Tarantino. Escreve nas horas vagas e está adaptando um conto no intuito de transforma-lo em um roteiro para longa-metragem.

Arthur Lopes publicou 263 posts. Veja outros.

Publicidade