As Fitas de Poughkeepsie (The Poughkeepsie Tapes) – Crítica

Diferente e interessante.

MV5BMTI0MjgzNzMyOF5BMl5BanBnXkFtZTcwMDM0MzU1MQ@@._V1__SX1303_SY571_

Utilizando o formato de falso documentário, As Fitas de Poughkeepsie conta a história de um assassino em série da cidade de Poughkeepsie que ficou famoso após sequestrar Cheryl Dempsey, mulher que nunca teve o corpo descoberto. Anos depois, em sua casa, a polícia encontra caixas com várias fitas, estas que registram cenas de tortura, assassinatos, sequestros, espancamentos, entre outras formas de violência que o assassino havia feito.

Lançado em 2008, As Fitas de Poughkeepsie não pode ser considerado um filme que foi na onda dos found-fotages ou falsos documentários, aliás, devemos considera-lo um dos pioneiros para este estilo de filme. Entre tanto, As Fitas de Poughkeepsie é cheio de altos e baixos.

O primeiro vai justamente ao formato do filme. Quando dito que o mesmo é um falso documentário eu não o estou comparando ao formato de filmes como Atividade Paranormal e até mesmo o excelente Cloverfield. As Fitas de Poughkeepsie é a simulação de um documentário, com depoimentos de especialistas, policias, familiares de vítimas, etc. Isso é muito bom, é construído de forma excelente durante todo o filme, mas só do expectador saber que aquilo não é uma história real, todo esse realismo que o filme tenta passar acaba indo por água a baixo.

Mas algo que o filme faz, e é de forma exemplar é a tensão de terror, junto mesmo de cenas perturbadoras. As Fitas de Poughkeepsie não é um filme para qualquer, já que o mesmo possui torturas, mutilações e violência explícita, mas ele não se apoia necessariamente nesses artifícios, tentando ser apenas chocante, mas consegue criar todo um clima de terror, principalmente nos psicológicos que é onde o filme brilha. Por outro lado, a câmera do assassino é horrível e tremida, então há momentos os quais você não entende nada do que está acontecendo.

O elenco é bom no geral. O assassino nunca tem seu rosto mostrado, mas algo que não me agradou foi sempre que o mesmo tenta passar uma postura de imponência ou superioridade, ele grita, e é assim que seu personagem é construído sempre que tenta passar esse sentimento, mas de resto, ele funciona bem. Alguns dos personagens que estão dando depoimentos sobre os acontecimentos são bons, mas tem outros que só por deus. Um salgado e um refrigerante foi mais que o suficiente para esses outros péssimos atores.

E além de tudo temos uma trilha sonora instrumental que incomoda constantemente o espectador, algo que está sempre presente e que no fundo da sua mente está te perturbando. Ou seja, fantástica.

As Fitas de Poughkeepsie é uma tentativa muito válida de algo que atualmente é feito mais do que deveria. Mas mesmo sendo algo que se tornou clichê, o seu clima de horror, independente dos defeitos que o filme contém, é algo de se aplaudir pois não são todos que fazem. Mas para os mais fracos, lembrem-se: algumas cenas são realmente perturbadoras.

Nota do Autor: 6.5
Nota do público:(3 votos) 5.8
Dê a sua nota:

MV5BMTIwMzAzMzUxN15BMl5BanBnXkFtZTcwNjA2MzQ1MQ@@._V1__SX1303_SY615_ MV5BMTM4NDAzNzk2OF5BMl5BanBnXkFtZTcwNTA2MzQ1MQ@@._V1__SX1303_SY571_ MV5BMTUxMDk1NzgxNV5BMl5BanBnXkFtZTcwMzA2MzQ1MQ@@._V1__SX1303_SY571_ MV5BMTY3NzU2NDA2Nl5BMl5BanBnXkFtZTcwODA2MzQ1MQ@@._V1__SX1303_SY571_

Trailer:

Arthur Lopes
Canal pessoal - Marmota Frita Fanático por cinema e video games em geral desde sempre, estuda administração mas seu verdadeiro amor permanece no mundo da sétima arte. Ama qualquer gênero cinematográfico, indo de romance até terror mas com preferência no drama, o que fez com que Batman - O Cavaleiro das Trevas se tornasse o seu filme favorito, consagrando Nolan como o mesmo. Mas também admira outros mestre do cinema como Eastwood e Tarantino. Escreve nas horas vagas e está adaptando um conto no intuito de transforma-lo em um roteiro para longa-metragem.

Arthur Lopes publicou 255 posts. Veja outros.

Publicidade