Hellraiser [Resenha]

Poucos sabem, mas o clássico do horror Hellraiser – Renascido do Inferno, é um livro.

timthumb

Frank é um homem que vive a vida aproveitando tudo, sempre à procura da intensidade e do prazer pleno, principalmente o sexual. Em suas pesquisas, Frank descobre uma caixa chamada de Lemarchand, esta que quando aberta lhe apresentaria os Cenobitas, seres de outra dimensão de poderiam de lhe oferecer os maiores dos prazeres. Porém, quando feito, Frank é aprisionado na casa em que abriu: a futura casa de seu irmão Rory e sua esposa Julia. Quando o casal se muda, Julia se vê constantemente tentada pela entidade de Frank na casa a libertá-lo, porém a chave para a liberdade é mais fatal do que ela imagina.

Escrito por Clive Barker, este é o mesmo homem que dirigiu e escreveu o roteiro da adaptação Hellraiser – Renascido do Inferno, ou seja, vocês já podem imaginar o quão fiel a obra é do seu original.

Porém não estamos aqui para falar do filme e sim do seu original, o livro, que é uma obra curiosa, de mitologias extremamente instigantes, mas com alguns defeitos.

Toda a história em si é muito intrigante e aborda desde o terror psicológico até o extremo do gore e slasher, isso sem contar que o livro aborda temas um tanto quanto polêmicos como traição, o manter de um matrimônio sem amor e até mesmo o sadomasoquismo que acabou sendo um dos grandes chamativos para o seu enredo.

No entanto, por mais que a história intrigue e o seu ritmo ajude muito, aliás lê-lo é tão fácil tanto por se tratar de apenas 150 páginas tanto por ter uma escrita fluída, Clive Barker não parece ter o maior cunho literário do mundo. A ideia é boa, assim como seus temas, porém toda a execução é fraca. Clive escreve de forma direta, sem muitas descrições tanto das situações como dos cenários e personagens. Tudo é direto, o foco é a história, porém não há aqueles outros detalhes para serem degustados e isso faz com que o livro se torne um pouco raso e perca impacto em momentos os quais deveriam revirar o estômago do leitor.

Essa falta de aprofundamento faz com que nós leitores não nos apeguemos tanto aos seus personagens. No total, temos apenas 4 personagens centrais: Frank, Julia, Rory e Kirsty. Porém, apenas dois deles são mais detalhados (e não é lá grande coisa) e os outros dois menos ainda, ou seja, quase não há o que se apegar em nenhum dos personagens.

Mesmo assim, o livro é interessante, por mais que este detalhe faça com que sua qualidade decaia. Mas, devido aos cuidados que sua editora no Brasil, a Darkside, teve, toda a edição já é uma porta de entrada para o universo exótico e mórbido que Hellraiser tenta nos apresentar, com sua capa dura preta e a icônica caixa de Lemarchand na capa.

Hellraiser é um interessante livro de horror que contém temáticas fortes e até angustiantes. Porém o livro perde impacto devido ao seu escritor, Clive Barker, não se adentrar tanto aos detalhes da própria história. O livro não se torna ruim de forma alguma, mas infelizmente perde o impacto por mais que instigue o leitor até a última palavra.

Nota do Autor: 7
Nota do público:(1 voto) 6.5
Dê a sua nota:

darksidebooks

Arthur Lopes
Canal pessoal - Marmota Frita Fanático por cinema e video games em geral desde sempre, estuda administração mas seu verdadeiro amor permanece no mundo da sétima arte. Ama qualquer gênero cinematográfico, indo de romance até terror mas com preferência no drama, o que fez com que Batman - O Cavaleiro das Trevas se tornasse o seu filme favorito, consagrando Nolan como o mesmo. Mas também admira outros mestre do cinema como Eastwood e Tarantino. Escreve nas horas vagas e está adaptando um conto no intuito de transforma-lo em um roteiro para longa-metragem.

Arthur Lopes publicou 254 posts. Veja outros.

Publicidade