Perfume, a história de uma assassino – [Cinema e Subjetividade]

Perfume-2006-2

Hoje vamos falar de um tema que é comum a todos: o amor. Vocês podem se perguntar como esse filme fala disso. Bom, acredito que no final do texto, vocês entenderão. Perfume, a história de um assassino (Perfume, the story of a murderer) conta a vida de Jean Baptiste Grenouille (Ben Whishaw), desde seu nascimento, passando pela infância, até chegar a vida adulta, na qual sua obsessão por captar os odores das coisas teve seu ápice. Para alimentar seu desejo, Grenouille precisava aprender quais os processos químicos envolvidos nisso. Apesar de o filme ser longo, vale a pena assisti-lo, pois as atuações assim como a temática do filme são bem instigantes. Daqui em diante, o texto contém alguns spoilers. Então, para não estragar sua experiência, sugiro que veja o filme antes. Vale salientar que esse filme é uma adaptação do livro homônimo do alemão Patrick Süskind.

Desde seu nascimento, Grenouille já demonstrava uma característica especial para sentir o cheiro, seja lá do que fosse, desde a pedras húmidas até o suor decorrente de uma relação sexual. Ele nasceu na Paris do século XVIII, em meio ao odor característico das feiras da época. Sua infância e adolescência foram difíceis, tendo sofrido maus-tratos, inclusive trabalhando praticamente como escravo. Porém, sua habilidade o aproximava cada vez mais de seu destino.

Aprendendo sobre o processo de extração de essências

Aprendendo sobre o processo de extração de essências

 

Grenouille e sua primeira vítima

Grenouille e sua primeira vítima

Ao sentir pela primeira vez o odor que exalava de uma moça que passava na rua, Grenouille ficou extasiado, acreditando que aquilo seria o símbolo da perfeição. Na tentativa de captar esse odor, ele acaba sufocando-a. Logo em seguida, percebeu que, aos poucos, o cheiro se exauria. A partir daí, sua busca por captar e guardar esse cheiro se tornou seu propósito de vida, sua obsessão. Ao conhecer o perfumista Giuseppe Baldini, vivido pelo excelente Dustin Hoffman, Grenouillle aprendeu técnicas de como extrair a essência das flores e também auxiliava na criação de novos perfumes, já que sua aptidão para criar novas essências era notável. Mas havia um pequeno detalhe: para que ele pudesse fazer o processo de extração nas moças virgens, era preciso matá-las.

Aos olhos de Grenouille, ela exalava o odor da perfeição e da pureza

Aos olhos de Grenouille, ela exalava o odor da perfeição e da pureza

O filme demonstra de forma clara a obsessão de Grenouille. A atuação de Ben também contribuiu bastante para convencer o espectador de que ali havia um assassino. Poucas palavras, um olhar fixo, até um adoecimento ao se deparar com o fato de que seria impossível captar o odor de qualquer objeto. Em nenhum momento Grenouille se mostra uma pessoa má, tampouco sociável. Mas sua busca incessante pela essência perfeita demonstra que ele é capaz de amar. Vale ressaltar que não se trata de um amor fraternal ou carnal, mas sim de um amor por aquilo que se quer, que se deseja. A Grenouille lhe faltava algo, ele desejava algo, mas não sabia muito bem o quê. No entanto ele sabia de algo: para conseguir o odor perfeito, precisava matar moças virgens. Ele sabia de alguma maneira que isso era ilegal, mas ele pouco se importava.

Grenouille e sua busca pela essência mais pura e perfeita

Grenouille e sua busca pela essência mais pura e perfeita

Em Psicanálise, o sujeito é marcado por uma falta constituinte. Essa falta o leva a buscar preenchê-la a todo custo. A maioria de nós, neuróticos “normais”, sabemos que isso é da ordem do impossível. Porém, sempre estamos em busca de algo, sempre queremos melhorar, evoluir, sair do lugar em que nos encontramos. Todavia, alguns sujeitos acreditam que podem sim preencher essa falta, que só acontece com a morte. Grenouille fazia parte desse grupo. Pouco a pouco ele se aproximava dessa perfeição. Curiosamente, ele consegue encontrar essa essência ideal, que simbolizava a pureza e a perfeição que ele tanto ansiava. O interessante é que ao mesmo tempo em que isso é sua redenção, é também sua sentença de morte.

A essência perfeita criada por Grenouille tem um efeito um tanto inusitado entre a população, porém, compreensível. Afinal, não estamos todos em busca da perfeição? O odor da essência transmitia tanta perfeição, tanto pureza, que não restava mais nada a fazer, a não ser amar. A população entra num estado de êxtase, até iniciarem um sexo grupal. Quando o efeito do odor passa, ninguém parece entender o que aconteceu. Mas sabem que estão famintos por aquilo e buscam encontrá-lo mais uma vez. Acabam encontrando em Grenouille a fonte do cheiro. Daí, em outra cena com um teor sexual tão intenso quanto a anterior, eles o comem, literalmente, na vã tentativa de encontrar novamente aquela mesma sensação de perfeição e pureza. Assim, Grenouille conseguiu o que queria: alcançar a perfeição, que, não por acaso, simboliza a morte.

A população ansiava pelo odor perfeito que exalava de Grenouille

A população ansiava pelo odor perfeito que exalava de Grenouille

Deixe sua nota aí embaixo.

Nota do Autor: 9
Nota do público:(4 votos) 7.6
Dê a sua nota:

 

Rayana Lima
Formada em Psicologia e, atualmente, está terminando o Mestrado também em Psicologia. Adora diversos tipos de filmes e sempre gosta de assistir várias vezes aqueles que mais lhe agradam. Seu estilo preferido é suspense e terror, mas também adora um romance, uma comédia ou um drama bem construído. O estilo musical também é bem eclético, mas não peçam pra ela escutar Annita e afins. No seu tempo livre, ama dançar e gosta de jogar videogame. Mas só os de corrida, porque os de plataforma e RPG são lentos demais pra ela.

Rayana Lima publicou 34 posts. Veja outros.

Publicidade