A Cura (A Cura for Wellness) – Crítica

As vezes as misturas de gêneros fazem coisa excelente. As vezes nem tanto.

051881.jpg-r_1920_1080-f_jpg-q_x-xxyxx

Mr. Lockhart (Dane Dehaan, O Espetacular Homem-Aranha 2) é um empresário bem-sucedido que acaba de assumir uma nova posição na empresa. Porém, os sócios desejam fazer uma ação que depende da assinatura de um homem que acabou por ficar em um sanatório na Europa. Sendo assim, Lockhart é enviado ao sanatório para trazer este homem de volta, mas após sofrer um acidente, Lockhart se torna o novo paciente do lugar, se envolvendo em um tenebroso mistério.

Gore Verbinski é um gênio. O diretor que deu vida a filmes como a trilogia Piratas do Caribe, Rango, O Chamado e a aventura O Cavaleiro Solitário, retorna para o suspense em 2017 com A Cura.

Porém, diferente daquilo que o filme vende nos trailers, A Cura não é exatamente um terror, mas sim um mistério bem envolvente com elementos de fantasia. Fantasia? Sim, fantasia, um elemento fundamental para você saber se irá gostar ou não do filme. Mas falamos disso mais pra frente.

216134.jpg-r_1920_1080-f_jpg-q_x-xxyxx

No entanto, em A Cura nós temos um excelente mistério até o seu segundo ato. Todo o mistério é feito de forma meticulosa e calma, carregando esses 140 minutos e não tendo pressa do seu desenvolvimento. Mas ao mesmo tempo que A Cura faz isso, ele tem muitas influências e referências visuais como o filme Ilha do Medo, podendo fazer com que o conceito do filme leve o espectador para uma dedução errada do que na verdade este filme é.

Mas ao mesmo tempo que esses dois terços de filme são feitos de forma excelente, apresentando conceitos, mitologias locais e instigando de forma perfeita o espectador, o filme começa a demonstrar problemas justamente no seu detalhamento, que se torna repetitivo, cansativo em alguns momentos e que torna o filme cada vez mais longa, algo que poderia ser algo a ser encurtado.

E o final do filme que é um tremendo desastre. O filme constrói um filme de mistério e thriller psicológico, mas com alguns poucos fatores de fantasia e livros de horror de 1800, durante quase todo o filme. Porém, esse suspense psicológico é amassado e jogado no lixo, fazendo com que o filme vá para o lado fantasia gótica, beirando inspirações como o Fantasma da Ópera e até mesmo um pouco de O Retrato de Dorian Gray. E o corte final é completamente escroto e destoa completamente de todo o fim e sendo bem ridículo.

Mas algo perfeito e agoniante é a violência. O filme faz muito bem o mistério e tensão, arruinando na hora de revelar as coisas justamente por subestimar o espectador com coisas que são óbvias. Mas a violência, sangue e o gore é presente ao ponto que agonia tanto quanto choca.

524502.jpg-r_1920_1080-f_jpg-q_x-xxyxx

Mas todo o elenco faz o trabalho muito bem, mas com alguns problemas. Dane Dehaan está muito bem, e faz parecer mais ainda que Ilha do Medo foi inspiração devido ao visual muito semelhante quando dentro do sanatório. E mesmo que consiga passar uma confusão perfeita e muita fúria como indignação, o fato do ator ser jovem, fica estranho na pele de um homem tão maduro. Temos Mia Goth como Hannah, uma menina misteriosa que consegue passar tanto a sexualidade de uma mulher, quanto a inocência de uma criança. E também temos Jason Isaacs, o médico que coordena todo o sanatório e é o melhor ator do filme, por mais que o personagem tenha um desfecho um tanto quanto ruim, o cara manda muito bem.

A fotografia e visual são fantásticos e o melhor fator do filme. Verbinski cria cenas únicas, colocando uma paleta cinzenta durante todo o filme mantendo a atmosfera de mistério, mas faz angulações incríveis com escolhas peculiares e excelentes.

E a trilha sonora muito boa, e que possui um tema principal tão presente que é fácil sair do filme cantando.

unsettling-and-eerie-international-trailer-for-gore-verbinskis-a-cure-for-wellness-social

A Cura é um filme de mistério e fantasia descente. O grande ponto é o quanto você aceitará que no fim das contas este é um filme de fantasia gótico. Caso você aceite, o filme será incrível! Caso não, a experiência será desgastante, cansativo e frustrante no fim das contas. Portanto, vai um pouco da sua experiência e exigência, no meu caso, não foi dos melhores, mas é possível admirar muitas coisas mesmo com este ponto muito complicado.

Nota do Autor: 6
Nota do público:(0 votos) 0
Dê a sua nota:

Trailer:

Arthur Lopes
Canal pessoal - Marmota Frita Fanático por cinema e video games em geral desde sempre, estuda administração mas seu verdadeiro amor permanece no mundo da sétima arte. Ama qualquer gênero cinematográfico, indo de romance até terror mas com preferência no drama, o que fez com que Batman - O Cavaleiro das Trevas se tornasse o seu filme favorito, consagrando Nolan como o mesmo. Mas também admira outros mestre do cinema como Eastwood e Tarantino. Escreve nas horas vagas e está adaptando um conto no intuito de transforma-lo em um roteiro para longa-metragem.

Arthur Lopes publicou 254 posts. Veja outros.

Publicidade