A Lei da Noite (Live by Night) – Crítica

Calma Ben Affleck, tudo tem sua primeira vez.

223080.jpg-r_1920_1080-f_jpg-q_x-xxyxx

Em Boston, nos anos 20, Joe Coughlin (Bem Affleck, Batman Vs. Superman) é um criminoso que passa os dias assaltando e se envolvendo com a máfia. Após assassinarem sua namorada, Joe jura vingança a máfia que a matou, e começa a criar seu próprio império de jogos e poder.

Adaptação do livro de Dennis Lehane, este é um filme estrelado, dirigido, escrito e co-produzido por Ben Affleck que já ganhou o Oscar de Melhor Roteiro por Gênio Indomável com Matt Damon, e também Oscar de Melhor Filme por Argo, e também fez outros excelentes filmes como Medo da Verdade e até mesmo Atração Perigosa.

Porém, digamos que este é o primeiro filme dirigido por Ben que o cara não acerta.

LIVE BY NIGHT

Logo de início nós temos uma impressão muito positiva do filme. Nos é apresentado duas máfias bem definidas, o histórico delas em si, o que Joe faz e como faz. Tiroteios, perseguições de carro e até mesmo uma direção dinâmica que faz o primeiro assalto do filme ser algo fantástico junto de sua ação e adrenalina incessante.

Porém, o filme nos apresenta tudo isso e nos deixa extasiado para mais, e o público pede, mas o filme não dá. Após todo esse dinamismo, a motivação de todo o longa acontecer fica bem clara: vingança. Mas ao mesmo tempo que isso acontece, o filme começa a vagar por caminhos tão sinuosos que é difícil entender para onde ele está indo, até chegarmos à conclusão de que ele está perdido em meio a própria história.

O ritmo do filme é muito lento, e as vezes até lembra um pouco os filmes de máfia de antigamente, abordando negociações, muitos diálogos, mas que não há nenhum em que você encontre algo realmente marcante. As muitas sub tramas de Joe começam a cansar também, envolvendo relacionamento, família e uma moral do personagem que se torna algo bem claro, mas pouco eficiente.

O filme ainda fica jogando a todo momento uma moral de história que faz com que você consiga começar a deduzir algo que vai acontecer no final, e pode ter certeza que acontece. Mas algo que é bem feito do começo ao fim, é os momentos mais violentos que tratam aquilo de forma bruta e seca.

LIVE BY NIGHT

O elenco é talvez o grande ponto positivo do filme. Ben Affleck demonstra ser um homem que tem dúvidas do porque está fazendo tais coisas, mas mesmo assim tem ganancia e gosta daquilo. Ainda temos Elle Fanning sendo uma religiosa fervorosa e que passa muita convicção. Chris Cooper como o pai de Loretta (Elle Fanning) um homem que se envolve com a máfia e não consegue fugir, e também Zoe Saldana como a mais fraca do elenco sendo o par de Ben Affleck.

A fotografia e ambientação são excelentes, mostrando bem a época e tendo cenas que se assemelham muito à série True Detective.

E uma trilha sonora ambiente que faz bem seu papel, mas pouco marca.

283791.jpg-r_1920_1080-f_jpg-q_x-xxyxx

A Lei da Noite não é um filme ruim, mas é um filme perdido. A história começa sendo algo completamente convincente e instigante, mas se perde em meio a sua própria narrativa, retornando ao seu objetivo principal lá no fim. Nós temos uma boa direção em muitos pontos e até mesmo uma boa atuação de Affleck, mas este é com certeza seu pior trabalho, estando muito abaixo do que já nos forneceu.

Nota do Autor: 6
Nota do público:(3 votos) 7.8
Dê a sua nota:

Trailer:

Arthur Lopes
Canal pessoal - Marmota Frita Fanático por cinema e video games em geral desde sempre, estuda administração mas seu verdadeiro amor permanece no mundo da sétima arte. Ama qualquer gênero cinematográfico, indo de romance até terror mas com preferência no drama, o que fez com que Batman - O Cavaleiro das Trevas se tornasse o seu filme favorito, consagrando Nolan como o mesmo. Mas também admira outros mestre do cinema como Eastwood e Tarantino. Escreve nas horas vagas e está adaptando um conto no intuito de transforma-lo em um roteiro para longa-metragem.

Arthur Lopes publicou 253 posts. Veja outros.

Publicidade