Filhos da Lua: O Legado [Leitor Nerd]

Você consegue imaginar que a sua vida pode não ser aquela para a qual nasceu? Que tudo o que acredita não é verdade? E que existem trocadores de pele vivendo entre nós? Filhos da Lua: O Legado apresenta um novo universo de fantasia urbana. Bianca não imagina que sua chegada em Santos desencadeará uma série de acontecimentos que transformarão completamente a sua vida e revelarão os segredos de um perigoso mundo.

O cenário de Filhos da Lua é feito de dualidades. Por um lado, o livro deixa bem clara a divisão entre a vida que os humanos levam e o fato de existirem criaturas sobrenaturais entre nós. Por outro lado, tais criaturas sempre apresentam várias facetas. Os trocadores de pele, conhecidos vulgarmente pelos mitos e superstições como lobisomens, são seres ancestrais, com tradições e fé milenares, mas também extremamente sofisticados e elaborados quando o assunto é suas táticas de caçada e até a tecnologia que eles têm ao seu dispor. O mundo apresentado é uma constante dualidade entre o nosso mundo e o deles, entre a bestialidade e a disciplina, entre o sobrenatural e o tecnológico.

Dentro deste contexto, os personagens não poderiam ser melhor elaborados. Bianca é a garota que descobre fazer parte de algo muito maior do que imaginava, a típica protagonista que vai atravessar o vale das trevas e descobrir a verdade junto ao leitor. Mas o que eu mais gostei foram os vários personagens secundários, sempre amarrados à trama através de laços de família e de honra que atravessam gerações. Cada um deles é mais do que aparentava no começo, sempre revelando novas camadas de conflitos, dor e motivações a cada cena. Temáticas delicadas como famílias despedaçadas, homossexualidade e ambições vorazes são muito bem desenvolvidos pela autora.

A apresentação desse cenário tão dualizado e desses personagens tão distintos leva a uma trama ao mesmo tempo encantadora e visceral. Filhos da Lua narra algumas histórias de amor cheias de reviravoltas tanto quanto cenas de ação violentas e sangrentas. O leitor pode esperar borboletas nos estômago em um capítulo e um nó nas tripas no outro enquanto os personagens se envolvem e se separam, e lutam e matam por sobrevivência, por desespero e por esperança, às vezes contra caçadores implacáveis, às vezes contra os traidores da própria espécie, às vezes contra aqueles que juraram obedecer ou proteger.

Filhos da Lua: O Legado é ao mesmo tempo amistoso para a garotada quanto atrativo para os adultos. Lembra quando uma horda de adultos leu Harry Potter para conferir o que que os filhos estavam lendo e acabaram devorando os livros juntos deles? Filhos da Lua tem o potencial de cativar todos os públicos, seja os leitores iniciantes, seja os veteranos. Gosto sempre de fechar minhas críticas sinalizando qual é o público-alvo da obra, mas dessa vez, a questão vai ficar em aberto: qualquer um pode abrir esse livro e acabar adorando cada página.

Bernardo Stamato
Vencedor do Concurso Cultura "Eu, Criatura" da Devir Livraria, formado em Letras, professor de Game Design e 3D Fundamental na empresa Seven Game e escritor (http://entrevirtudesevicios.blogspot.com/). Quando dá tempo para respirar, lê e joga PS3 também.

Bernardo Stamato publicou 103 posts. Veja outros.

Publicidade