Grande Prêmio do Cinema Brasileiro 2017 – Saiba tudo o que rolou e premiados

Você já participou de um evento de mais de duas horas? Costuma ser tedioso. Surpreendentemente, o Grande Prêmio do Cinema Brasileiro de 2017 conseguiu ser muitas coisas, exceto tedioso. Foram muitas categorias, muitos profissionais homenageados, muitos discursos e muita emoção num dos eventos mais importantes para nossa cultura nacional.

A cerimônia ocorreu no Theatro Municipal do Rio de Janeiro e foi transmitida ao vivo pelo Canal Brasil na tevê e pelo Canal Brasil Play na Internet. Entre os momentos mais marcantes, esteve a homenagem e o discurso de Helena Ignez e Antônio Pitanga, ressaltados pelas décadas de trabalho cinematográfico, pelos pontapés iniciais que deram e também por toda a batalha que travaram representando as mulheres e os negros numa sociedade tão excludente. Também foi muito bonita a homenagem ao Grupo Severiano Ribeiro – Kinoplex -, primeira rede de cinemas brasileira a chegar à marca de cem anos de trajetória, mesmo sob tanta concorrência externa e sob tantas crises aos longos do século. Não posso deixar de mencionar a homenagem aos que se foram, saudando profissionais que marcaram a nossa história e partiram para o seu merecido descanso, destacando Paulo Silvino e Rogéria – obrigado a todos, que encontrem luz seja onde estiverem.

Entre os vencedores, Aquarius levou os principais prêmios – trilha sonora, direção e melhor filme -, enquanto Elis levou a maioria dos prêmios – montagem, fotografia, figurino, trilha sonora original, som, direção de arte, maquiagem e atriz (Andréia Horta). Para melhor filme estrangeiro, a premiação brasileira manteve a tradição de contrariar o Oscar e eleger A Chegada – Arrival. Mas um dos momentos mais bonitos da noite com certeza foi a premiação de Laura Cardoso por melhor atriz coadjuvante, que quase não conseguiu falar de emoção, mas conseguiu ressaltar que “essas meninas merecem este troféu também”, se referindo a todas as outras candidatas, e encerrando com “este é meu presente de aniversário” – a atriz fará 90 anos no dia 13 de setembro. Por fim, foi notável a quantidade de empates: quatro categorias tiveram dois vencedores – melhor roteiro original para Domingos Oliveira (BR716) e Gabriel Mascaro (Boi Neon), melhor roteiro adaptado para Fil Braz e Paulo Gustavo (Minha mãe é uma peça 2) e Hilton Lacerda e Anna Carolina Francisco (Big Jato), melhor fotografia para Adrian Teijido (Elis) e Diego Garcia (Boi Neon) e melhor longa-metragem documentário para Cinema Novo e Menino 23.

O Grande Prêmio do Cinema Brasileiro é um marco para nossa cultura. É um evento que nos faz olhar com mais atenção para nossa produção cultural e nos faz repensar no valor e na beleza do que podemos fazer. O evento expõe e enaltece nossos filmes tanto quanto nós mesmos, brasileiros, como aquilo que somos: diversificados, perspicazes, carismáticos e batalhadores.

Segue a lista de premiados:

Melhor Curta-metragem de Ficção: O Melhor Som do Mundo, de Pedro Paulo de Andrade.

Melhor Curta-metragem de Documentário: Buscando Helena, de Ana Amélia Macedo e Roberto Berliner.

Melhor Curta-metragem de Animação: Vida de Boneco, de Flavio Gomes.

Melhor Figurino: Cristina Camargo por Elis.

Melhor Maquiagem: Ana Van Steen por Elis.

Melhor Fotografia: Adrian Teijido por Elis e Diego Garcia por Boi Neon.

Melhor Efeito Visual: Marcelo Siqueira por O Pequeno Segredo.

Melhor Som: Jorge Rezende, Alessandro Laroca, Armando Torres Jr. e Eduardo Virmond Lima por Elis.

Melhor Trilha Sonora Original: Otavio de Moraes por Elis.

Melhor Trilha Sonora: Mateus Alves por Aquarius.

Melhor Direção de Arte: Frederico Pinto por Elis.

Melhor Montagem de Documentário: Renato Vallone por Cinema Novo – Coprodução do Canal Brasil.

Melhor Montagem de Ficção: Tiago Feliciado por Elis.

Melhor Roteiro Original: Domingos Oliveira por BR716 e Gabriel Mascaro por“Boi Neo” – Coproduções do Canal Brasil.

Melhor Roteiro Adaptado: Minha Mãe É uma Peça e Big Jato – Coproduções do Canal Brasil.

Melhor Atriz Coadjuvante: Laura Cardoso por De Onde Eu Te Vejo.

Melhor Ator Coadjuvante: Flavio Bauraqui por Nise – O Coração da Loucura.

Melhor Atriz: Andreia Horta por Elis.

Melhor Ator: Juliano Cazarré por”Boi Neon – Coprodução do Canal Brasil.

Melhor Direção: Kleber Mendonça Filho por Aquarius.

Menção Honrosa – Melhor Longa-metragem Infantil: Carrossel – O Sumiço de Maria Joaquina.

Melhor Longa-metragem Estrangeiro: A Chegada, de Dennis Villeneuve.

Melhor Longa-metragem de Comédia: O Shaolin do Sertão, de Halder Gomes.

Melhor Longa-metragem Documentário: Cinema Novo, de Eryk Rocha e Menino 23 – Infâncias Perdidas no Brasil, de Belisário Franca – Coproduções do Canal Brasil.

Melhor Longa-metragem de Ficção: Aquarius, de Kleber Mendonça Filho.

Voto Popular:

Melhor Longa-metragem Estrangeiro: Garota Dinamarquesa.

Melhor Longa-metragem Documentário: Menino 23 – Infâncias Perdidas – Coprodução do Canal Brasil.

Melhor Longa-metragem de Ficção: Boi Neon, de Gabriel Mascaro – Coprodução do Canal Brasil.

Bernardo Stamato
Vencedor do Concurso Cultura "Eu, Criatura" da Devir Livraria, formado em Letras, professor de Game Design e 3D Fundamental na empresa Seven Game e escritor (http://entrevirtudesevicios.blogspot.com/). Quando dá tempo para respirar, lê e joga PS3 também.

Bernardo Stamato publicou 107 posts. Veja outros.

Publicidade

  • Paulinha Marcondes

    Excelente cobertura. É o tipo de evento que deveria ser motivo de orgulho para todos os brasileiros e por isso amplamente divulgado.