Resident Evil 6: O Capítulo Final (Resident Evil 6: The Final Chapter) – Crítica

Eu nem levo mais a sério essa série.

091105.jpg-r_1920_1080-f_jpg-q_x-xxyxx

Ainda sobrevivente do mundo devastado pelos zumbis, Alice (Milla Jovovich, Zoolander 2) é obrigada a retornar à cidade em que tudo começou, Raccoon City, e deter a Umbrella Corporation que irá extinguir a raça humana em pouco tempo.

Resident Evil veio em uma época em que muitos estavam tentando adaptar jogos. Sendo assim, nós tínhamos uma tonelada de adaptações, porém nenhuma era realmente fiel. Resident Evil não era fiel, e não era bom. Vai entender como sobreviveu. Porém, a franquia começou com algo que utilizava mais o suspense e um pouco da ação, porém os fatores foram se revertendo, utilizando muito mais ação e pouco suspense, e foi aí que eles desistiram por completo de fazer algo bom, mas apenas algo para agradar os menos exigentes que sempre deram dinheiro pra franquia.

Isso faz o filme ser bom? De forma alguma, porque ele é uma droga.

077415.jpg-r_1920_1080-f_jpg-q_x-xxyxx

Além do filme se levar completamente a sério, basicamente nada nele é bem feito. Convenhamos que a história tem um foco, você entende onde Alice quer chegar, quais os seus objetivos e propósitos, e ao menos isso acontece bem. Mas todo o resto do filme é uma tremenda bagunça, sem pé nem cabeça eu não consigo entender quem gosta desses filmes de verdade, e não pela zoeira.

É um filme recheado de ação, mas é a mesma ação ao estilo Triplo X: Reativado, com os inúmeros cortes e uma direção mais tremida que uma britadeira na construção, em que você não entende nada. O que ainda consegue funcionar são os sustos, mas que se baseiam apenas por jump-scares e um volume estourado no alto, porque o filme não consegue criar tensão a ponto de o espectador ficar apreensivo para sentir medo ou se assustar de verdade.

Além de tudo, o filme não tem uma palavra decente em qualquer diálogo. Diálogos como “Por que estou viva?” em que o outro responde “Eu não sei”, podem ser encontrados aqui, e não só uma vez. O roteiro não liga a mínima para a lógica, faz com que um personagem consiga morrer cerca de CINCO vezes no filme e voltar sempre que quiser, e ainda tenta criar milhares de plot twists que são tenebrosamente escrotos, sem lógica e que vai fazer você rir porque é tosco e não é possível que eles achem que somos tão burros assim.

079446.jpg-r_1920_1080-f_jpg-q_x-xxyxx

No elenco temos Milla Jovovich que deve estar fazendo o filme apenas porque o marido é o diretor, e ainda temos Iain Glen como o grande vilão do filme, e que eu não entendo o que faz aqui, um ator da série Game of Thrones com um personagem legal, num personagem tão bisonho e atuando mal pra caramba. É o típico filme em que o elenco deve ter sido pago com um refrigerante e um salgado, só pode.

Em questão de fotografia, tudo é escuro, mas ao menos a caracterização dos lugares é ok.

E a trilha sonora explosiva e ensurdecedora que vai te encher o saco logo na primeira cena, na verdade, antes que aparecer qualquer coisa em tela. Eu não tô zoando.

594689.jpg-r_1920_1080-f_jpg-q_x-xxyxx

Resident Evil 6: O Capítulo Final é a real esperança de que ele seja realmente o último filme dessa franquia tão malfeita. São poucas coisas que se salvam aqui e as chances de se divertir vendo esse filme é apenas se você ficar tirando sarro da cara dele. Cansa, ensurdece e apenas ri do espectador achando que ele é burro. Rezemos para ser o último mesmo.

Nota do Autor: 3
Nota do público:(9 votos) 2.7
Dê a sua nota:

Trailer:

Arthur Lopes
Canal pessoal - Marmota Frita Fanático por cinema e video games em geral desde sempre, estuda administração mas seu verdadeiro amor permanece no mundo da sétima arte. Ama qualquer gênero cinematográfico, indo de romance até terror mas com preferência no drama, o que fez com que Batman - O Cavaleiro das Trevas se tornasse o seu filme favorito, consagrando Nolan como o mesmo. Mas também admira outros mestre do cinema como Eastwood e Tarantino. Escreve nas horas vagas e está adaptando um conto no intuito de transforma-lo em um roteiro para longa-metragem.

Arthur Lopes publicou 264 posts. Veja outros.

Publicidade