Todos Estão Destinados a Morrer [Leitor Nerd]

Dor, angústia, medo e alívio são palavras que expressam o temido – ou até desejado – destino que todos nós enfrentaremos um dia: a morte. Talvez seja imprescindível viver uma vida digna e feliz. Só talvez. Todos Estão Destinados a Morrer é um livro de poemas e contos, todos sob as neblinas de mistério e com desfechos instigantes. A morte é retratada de forma singular em cada página, trazendo reflexões sobre um tema que é tão temido, levando-o ainda mais além.

Natália Batista gosta de ler ao ponto de ser considerada viciada em livros, talvez daí tenha surgido o desejo de ser escritora. Adora contar histórias e de fazer as pessoas mergulharem em um universo novo. Em suas próprias palavras: “Passo por esse mundo observando tudo o que acontece em minha volta, assim em minhas histórias, tento fazer uma reflexão daquilo que me chamou atenção, deixando para o leitor fazer suas interpretações”.

Melancolia e soturnidade. Essas são as sensações que Todos Estão Destinados a Morrer passa a cada gota de tinta usada em suas páginas. Natália Batista é uma observadora perspicaz antes de ser uma escritora habilidosa. Como consequência, seus personagens estão constantemente observando as pessoas e a apatia sorridente da sociedade, para depois serem confrontados com a inevitabilidade, seja através de um acidente ou da maldade ou até mesmo da insanidade. A narrativa e o clima do livro são cinzentos e sutilmente viscerais.

O livro percorre os cenários mais mundanos até os mais suspeitos, presentes em qualquer cidade – talvez você more ao lado de um deles. O leitor caminhará por colégios barulhentos e apartamentos aconchegantes tanto quanto por hotéis controverso e becos silenciosos. O único lugar-comum é a alienação dos desavisados e a pulga atrás da orelha que quem já assistiu Réquiem para um Sonho vai relembrar.

Os personagens de Todos Estão Destinados a Morrer são ao mesmo tempo comuns e heroicos. Pode ser uma mulher que tem premonições e vive a impedir que inocentes morram ou um simples garoto condenado por se apaixonar pelo seu melhor amigo, assim como todos nós, eles são ao mesmo tempo vítimas das injustiças cotidianas e sobreviventes que nadam contra a correnteza que nos puxa para longe da vida. Com certeza podemos encontrá-los numa fila no mercado, ao nosso lado no ônibus ou dentro de nós mesmos.

Natália Batista é uma jovem escritora cheia de potencial. Destaca-se por fugir do humor ou das fadas e pela coragem e delicadeza em suas histórias trágicas e taciturnas. Acredito que ela encontrou o equilíbrio certo nas sombras, afastada da luz cegante, mas também nunca na completa escuridão. A autora parece passear na corda bamba do cinzento, com leveza e ousadia, sorrindo suavemente para o perigo e deixando os leitores ansiosos pela sua próxima manobra. Particularmente, com certeza lerei seus próximos lançamentos.

Bernardo Stamato
Vencedor do Concurso Cultura "Eu, Criatura" da Devir Livraria, formado em Letras, professor de Game Design e 3D Fundamental na empresa Seven Game e escritor (http://entrevirtudesevicios.blogspot.com/). Quando dá tempo para respirar, lê e joga PS3 também.

Bernardo Stamato publicou 107 posts. Veja outros.

Publicidade